Home / Games / Dossiê PS3: o desbloqueio do console e o ataque a PSN

Dossiê PS3: o desbloqueio do console e o ataque a PSN

psn

Esta semana tivemos uma notícia que abalou a estrutura do mundo gamer como há muito não se via: a Playstation Network (PSN), rede do Playstation 3, foi invadida por hackers e dados como nomes, endereços, e-mails e números de cartões de crédito de mais de 77 milhões de usuários foram expostos. Neste post tentaremos explicar a vocês quais as consequências disso e como ocorreu o maior ataque hacker da história da internet.

Tudo começou em agosto de 2010 quando uma empresa australiana chamada OZ Modchips lançou o PSJailbreak, um dispositivo que permitia rodar jogos no Playstation 3 através de um HD externo ou interno. A Sony tentou uma série de ações para tentar prevenir a pirataria no PS3, mas com o lançamento deste modchip a comunidade hacker se atiçou e os experimentos com o console começaram a aparecer por todos os lados. Não havia mais volta: após quatro anos livre de qualquer pirataria a segurança do PS3 finalmente havia caído.

Quando tudo parecia ruim, veio o golpe fatal: em janeiro deste ano um grupo de hackers auto-denominado fail0verflow ultrapassou uma série de barreiras de segurança e conseguiu acesso a master key do Playstation 3, chave que era usada pela Sony para autenticar seus softwares. Com este código era possível instalar qualquer software no PS3 sem a necessidade de uma autenticação de segurança.

Então começaram a surgir os chamados homebrews (softwares feitos por usuários): emuladores, sistemas operacionais alternativos, programas de FTP, gerenciadores de backup, Media Players e, obviamente, a pirataria. A Sony tentava bloquear estas ações através de atualizações em seu sistema mas, com a master key em mãos, hackers desenvolveram diversas Custom Firmwares (versões modificadas do sistema) que burlavam todo tipo de segurança do PS3. Não demorou muito até surgirem Custom Firmwares que permitiam aos usuários jogar na Playstation Network com consoles desbloqueados sem nenhum problema e até baixar seus conteúdos pagos de forma ilegal.

A Sony resolveu adotar uma tática agressiva: processou George Hotz (hacker responsável por grande parte dos desbloqueios feitos até aqui) e o grupo fail0verflow, prometendo tomar medidas drásticas contra eles. A comunidade hacker revoltou-se e prometeu vingança, mas a empresa japonesa não tomou conhecimento e continuou a represália, com ordens policiais para invasão de casas e confisco de equipamentos dos hackers.

Eis que, em 20 de abril, a Playstation Network sai do ar no mundo inteiro. Seis dias depois a Sony se pronuncia dizendo que a rede foi atacada e mais de 77 milhões de usuários tiveram seus dados expostos. Boatos dizem que o ataque foi causado através de uma Custom Firmware chamada “Codename: Rebug”, tão poderosa que permite adicionar créditos na PS Store sem a necessidade de um cartão.

As consequências do ataque a PSN deverão ser desastrosas. Especialistas calculam que o prejuízo pode ultrapassar 24 bilhões de dólares e autoridades dos Estados Unidos, Japão e Reino Unido já iniciaram investigações para saber se a empresa possuía proteção para os dados que possuíam, especialmente os de cartões de crédito. Usuários do mundo inteiro se revoltaram contra a empresa, e alguns já começaram a relatar fraudes em seus cartões.

A Sony anunciou que está reconstruindo a PSN e que a mesma deverá estar no ar nas próximas semanas, mas qual a credibilidade da empresa após este papelão? Você acredita que o departamento de games da gigante japonesa resistirá a um prejuízo de mais de 24 bilhões de dólares? Este ataque foi causado pela arrogância da empresa ao atacar os hackers sem pensar nas consequências?

Aguardo ansiosamente pelas respostas de vocês nos comentários.

ATUALIZADO EM 28/04/2011 às 14:45

De acordo com o Gamespot o americano Kristopher Johns entrou com o primeiro processo contra Sony Computer Entertainment America, alegando “falha em manter uma segurança adequada dos dados de computadores, sobre dados pessoais do consumidor e dados financeiros, incluindo, mas não limitado a, dados do cartão de crédito e à exploração, razoavelmente previsível, de tal segurança inadequada dos réus Sony, por hackers de computadores, provocando o compromisso da privacidade das informação confidenciais dos cerca de 77 milhões de consumidores titulares de contas com cartão de crédito”.

Além disso as ações da Sony na bolsa de Tóquio fecharam esta quinta-feira com queda de 4,5%, como reflexo da invasão à Playstation Network. As ações da companhia acumulam desvalorização de 8% na semana.

Lista de Posts recentes:

[PTP]posts[/PTP]

Sobre aleromero

Veja também:

NX-SA1 – A JVC traz um design arrojado em áudio portátil

Um aparelho de som portátil, com design arrojado e alta definição de áudio. Essa é …