Home / Falando Curto e Grosso / Falando Curto e Grosso sobre “O Mestre”

Falando Curto e Grosso sobre “O Mestre”

omestreO Mestre conta a história de um homem carismático e inteligente que cria uma organização baseada na fé. No meio do caminho de suas “apresentações”, ele encontra um andarilho alcoólatra e o contrata como o seu braço-direito. Na medida em que a religião ganha adeptos, seu ajudante começa a questioná-la. Ele não sabe se os adeptos seguem “A Causa” por suas convicções ou se seguem por admiração ao seu criador.

Joaquin Phoenix, indicado ao Oscar como Melhor Ator, encabeça o elenco ao lado de Philip Seymour Hoffman e Amy Adams, todos em atuações brilhantes de personagens complicados. Phoenix é o emocional, a beira da loucura, enquanto Hoffman é o mestre religioso e carismático, e por fim Amy Adams é mãe, a mulher, a parceira.

O drama de época narra a história da fundação de A Causa, uma organização religiosa criada por Lancaster Dodd (personagem de Philip Seymour Hoffman) em 1950, mas a trama do filme é focada na relação do fundador com seu auxiliar Freddie Sutton (Joaquin Phoenix).

Este filme é aquele tipo que você não consegue esquecer após sair do cinema, que você fica durante alguns segundos que parecem eternos, sentado observando os créditos finais e se perguntando “por quê?”, até que se lembra que Paul Thomas Anderson é diretor de Magnólia. Flashback para cena de chuva de sapos.

Paul Thomas Anderson desenvolve uma trama tão complexa com personagens tão intensos e marcantes, que consegue deixar a história da criação d’A Causa de lado para dar ênfase nas pessoas. A cena em que traz os personagens de Amy Adams e Joaquin Phoenix frente a frente tem um diálogo tão fantástico e insano ao mesmo tempo em que pensamos “WTF?”.

O trio principal do filme consegue ser realmente o que o roteiro de Paul Thomas Anderson queria dar ênfase naquela “loucura” das pessoas. Seymour Hoffman e Amy Adams, indicados ao Oscar como ator e atriz coadjuvante, conseguem dar vida a um casal normal e ao mesmo tempo a pessoas insanas, fugindo do estereótipo dos religiosos. Já Joaquin Phoenix tem um personagem (criado para ele mesmo por Thomas Anderson) tão intenso e cheio de problemas emocionais que chega a ser bestial. É aquele tipo de personagem que te incomoda sempre quando está em cena e que não poderia ser interpretado por outro ator.

A história da criação d’A Causa pode não te conquistar, mas com certeza as atuações irão. O Mestre pode não ser lembrado como Magnólia, mas com certeza tem um papel importante na carreira de seu diretor e do trio principal. Acredito ainda que não seja um filme forte para gerar muito público, mas gostaria que fosse, pois é um filme que merece ser visto.

Classificação: BOM

[youtube video=”9-DqQXYvTi8″ width=”600″]

O Mestre (The Master)

Sinopse: Homem carismático e inteligente, também conhecido como O Mestre, cria uma organização baseada na fé que se torna popular no início dos anos 50. O Mestre contrata o andarilho e alcoólatra Freddie Sutton como o seu braço-direito. Na medida em que a religião ganha adeptos, Sutton começa a questioná-la, bem como o seu fundador.
Direção: Paul Thomas Anderson
Elenco: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Philip Seymour Hoffman, Jesse Plemons, Jillian Bell, Kevin J. O’Connor, Laura Dern, Lena Endre, Rami Malek, W. Earl Brown.
Gênero: Drama
Duração: 114 min.
Distribuidora:  Imagem Filmes
 

Sobre Marcio Tarantino

Veja também:

Soundtrack banner

Soundtrack – Filme nacional com cara de produção hollywoodiana

Soundtrack - Filme nacional com cara de produção hollywoodiana. Selton Mello está excelente. Produção de Júlio Uchoa, Selton Mello, Seu Jorge e 300ml.