Home / Falando Curto e Grosso / Falando Curto e Grosso sobre “Os Croods”

Falando Curto e Grosso sobre “Os Croods”


CroodsOs Croods não foca muito em diálogos inteligentes, porém sabemos que por trás das falas bobas sempre podem ser tiradas mensagens interessantes. Seguir os próprios sonhos, não ter medo de arriscar e perceber que cada pessoa tem o direito de viver da maneira que melhor entender, são alguns exemplos dos pensamentos transmitidos.

Quando o assunto passa a ser a diversão, a produção decide por utilizar, muito bem por sinal, a comédia física, que apresenta milhares de trapalhadas da família e as particularidades de cada um dos membros da família Croods. Impossível não se divertir com essas tomadas, que não precisam ser apelativas ou apostar em simples flatulências.

A trama gira em torno da família Croods, cujo patriarca, Grug, ensinou aos filhos que sempre se deve temer o novo e que a curiosidade pode causar a morte. Eles só saíam da caverna para caçar o alimento do dia, afinal de contas, todos os seus vizinhos já haviam sido mortos pelas ferozes criaturas que lhes cercavam. Eep, filha mais velha do casal, não suporta mais viver na escuridão e acredita que é hora de encarar o mundo afora e descumprir todas as regras impostas pelo pai. Numa dessas escapadas, ela conhece um garoto diferente, que lhe informa sobre a proximidade do fim do mundo. Devido aos efeitos naturais desse desastroso evento, Grug é forçado a encarar o mundo e rumar em busca de um novo local seguro. O que ele não esperava é que sua família agora estaria em dúvida de continuar vivendo no escuro ou aproveitar a luz do amanhã.

O visual do filme é esplêndido e o novo mundo criado nos remete as mais belas cenas do filme Avatar, de James Cameron. Impossível não se fantasiar com as criaturas estranhas que surgem na tela. O espectador se sente curioso com o universo desenvolvido e se torna ainda mais próximo da película.

A trilha sonora é muito divertida e com muitas canções que servem para ditar o ritmo das aventuras dos Croods. Não estamos falando da produção perfeita, pois alguns personagens são bastante caricatos, como, por exemplo, a anciã da família, que apesar da longa idade continua ativa e metida à esperta ou o irmão, que, no fim das contas, é o mais bobo de toda a trupe. Isso não afeta muito o resultado final da obra, porém diminui um pouco sua credibilidade.

Falando em resultado final, confesso que por alguns segundos cheguei a pensar que estaria diante de um excelente final de animação, daqueles que transmitem uma grande mensagem e não precisa ser dos mais felizes. Uma pena que a vontade e a certeza de que é possível se fazer uma continuação tenha jogado este final, lindo e contagiante, no lixo. Com poucas ressalvas e bastantes elogios, é possível dizer que esta é uma animação acima da média e daquelas que vale muito ser conferida.

Classificação: BOM

[youtube video=”RSkV5pMG5zg” width=”600″]

Os Croods (The Croods)

Sinopse: Na era pré-histórica, uma tribo muito evoluída entra em choque com uma que é o oposto.
Direção: Kirk De Micco e Chris Sanders
Elenco: Vozes no original de: Nicolas Cage, Ryan Reynolds, Emma Stone, Catherine Keener, Clark Duke, Cloris Leachman.
Gênero: Animação
Duração: 98 min.
Distribuidora:   Dreamworks

 

Sobre Marcio Tarantino

Veja também:

Formidável

Formidável, o título perfeito para o novo filme de Michel Hazanivicius

Formidável é um dos filmes mais gostosos que vi este ano. É filme que veria novamente e é daqueles filmes que dá vontade de ter participado.