Home / Falando Curto e Grosso / Falando Curto e Grosso sobre “Ted”

Falando Curto e Grosso sobre “Ted”

A cultura pop nunca esteve tão pop. Quer vender alguma coisa? Insira referências de Star Wars até Glee e verá uma enxurrada de interessados. E um dos grandes problemas dessa modinha, é que todo mundo usa as mesmas referências. Afinal, ser nerd agora é chique. Mas poucos, bem poucos, conseguem ser como Seth MacFarlane, criador das séries Uma Família da Pesada e American Dad! e, agora, diretor de Ted.

Quem conhece seus trabalhos para TV, sabe como a mente do sujeito trabalha em 220 quando o assunto é o universo da cultura pop. Como uma metralhadora, o cara dispara para todos os lados, de Jesus cristo à Justin Bieber, e claro que acabou levando essa pegada para sua estreia nos cinemas.

Em seu primeiro longa, acompanhamos a vida de John Bennett (Mark Wahlberg), um sujeito que não tinha muitos amigos durante a infância. Um dia, depois de ganhar como presente de natal um urso de pelúcia, John faz um desejo: gostaria que seu ursinho ganhasse vida para que pudesse ser seu melhor amigo. Claro que o desejo é realizado. Depois de anos vivendo juntos, a amizade dos dois é confrontada quando Lori (Mila Kunis, que os marmanjos vão lembrar mais de sua atuação em Cisne Negro do que como sendo a voz de Meg, de Uma família da pesada), a namorada do protagonista, pede para que ele faça uma escolha: ou o ursinho falante, ou ela.

Através da tecnologia de captura de movimentos, Seth MacFarlane dá vida e voz a Ted de forma brilhante, ficando no mesmo patamar de qualidade do Gollum vivido por Andy Serkis na trilogia “O Senhor dos Anéis”. Tal qual um Mel Gibson, o urso de pelúcia é um personagem beberrão, politicamente incorreto, bastante imaturo e divertido, características bem parecidas com a do irlandês/mexicano Peter Griffin, também criado e interpretado por MacFarlane em sua série mais famosa.

Sem poupar ninguém, o roteiro, também criado pelo hiperativo diretor (que ainda interpreta, dubla, roteiriza, produz, dirige e canta no filme) ao lado de seus companheiros de TV Alec Sulkin e Wellesley Wild, tira sarro de tudo e de todos com uma inteligência e acidez cada vez mais rara hoje em dia (não é todo dia que vemos Alf, o E.Teimoso sendo chamado de alienígena judeu). 11 de setembro, prostitutas, Taylor Lautner, Susan Boyle… qualquer coisa é alvo do longa.

Mas nem tudo fica nas costas de Seth. O entrosamento entre Mark Wahlberg e Mila Kunis, junto com o urso digital é simplesmente perfeito. Em alguns momentos chega até parecer um episódio (bom) de Seinfeld, com conversas na cozinha sobre nomes fictícios de cerveja ou de periguetes (sim, tem isso).

Todo o elenco parece se divertir bastante durante a produção: Giovanni Ribisi (Friends, Avatar) também está ótimo como o vilão Donny, Patrick Warburton (Frango Robô) rouba algumas cenas como Guy, amigo de trabalho de John, e até as participações especiais conseguem chamar a atenção, como Norah Jones, Tom Skerritt, Patrick “Professor Xavier” Stewart como narrador e, a melhor de todas, Ryan Reynolds.

Se existe uma mínima derrapada em Ted, está na insistência em achar um lado bonitinho/dramático e forçar um pouco a barra nele, como acontece nos últimos, e um pouco extensos, minutos finais da projeção. Não seria algo demais, se não atrapalhasse o timing das piadas que continuam sendo atiradas entre uma ou outra liçãozinha.

Ao lado de Valente, da Pixar, Ted é um dos únicos filmes de 2012, que conseguiu entrar no top 10 de maiores bilheterias do ano sem ser uma continuação ou adaptação de best-seller, o que por si só já seria algo reverenciável.

Some ainda ao fato de ser uma comédia de humor negro e politicamente incorreto, e tenha em Ted uma esperança para a humanidade. Ah, e claro, um ótimo filme.

Classificação: ÓTIMO

 [youtube http://www.youtube.com/watch?v=qIGuy2pOhGA]

 

Ted (Ted)

Sinopse: Na infância, homem aparentemente normal desejou que seu urso de pelúcia ganhasse vida para poder conversar com ele. O homem cresce ao lado dele e o relacionamento entre os dois não é questionado até o dia em que a sua namorada dá o ultimato: ou ela ou o urso.
DireçãoSeth MacFarlane
Elenco: Mila Kunis, Mark Wahlberg, Giovanni Ribisi, Seth MacFarlane, Patrick Warburton, Laura Vandervoort, Jessica Stroup, Joel McHale.
Gênero: Comédia
Duração: 106 min.
Distribuidora: Universal Pictures
 

* Curto e Grosso é a seção da Central 42 dos reviews de filmes e séries, apresentados de uma maneira rápida, direta e sem muito blá blá blá.

 

Sobre Marcio Tarantino

Veja também:

Planeta dos Macacos

Planeta dos Macacos: A Guerra encerra trilogia de maneira impactante

Marque o dia 03 de agosto como um dia especial, de gala, para ver Planeta dos Macacos: A Guerra. O filme promete deixar todo mundo com o coração na mão