Home / Quadrinhos / História em quadrinhos tem como pano de fundo o Troféu da Copa de 70

História em quadrinhos tem como pano de fundo o Troféu da Copa de 70


Em homenagem a um dos maiores prêmios conquistados pelo esporte nacional – a Taça  Jules Rimet – cujo misterioso desaparecimento acaba de completar 30 anos, a Bila Edições lança, em ano de realização da Copa do Mundo no Brasil, o álbum em quadrinhos Rastreadores da Taça Perdida – O Segredo da Jules Rimet. E no  sábado (12), das 15h às 17h30, o autor Giorgio Cappelli, receberá o público para um Coquetel de Lançamento num dos maiores points de quadrinhos de São Paulo – a  Comix Book Shop (Alameda Jaú, 1998, Jardins).

A HQ tem como pano de fundo o desaparecimento da Taça Jules Rimet (troféu da Copa do Mundo da FIFA de 1970), concedida ao Brasil quando a seleção brasileira conquistou o Campeonato Mundial pela terceira vez. Por sugestão de seu idealizador, na ocasião de sua criação (1928), sua posse definitiva ficaria com o país que conseguisse vencer um total de três edições da Copa – algo considerado extremamente difícil, imaginando que nenhum país fosse capaz de atingir esta marca. Conquistada pelos brasileiros, depois das vitórias nas Copas de 1958, 1962 e 1970, já trazia em sua história uma ocorrência de roubo, na Inglaterra, em 1966. Naquela época, foi reencontrada semanas depois pelo simpático cãozinho Pickles, também homenageado na obra.

Novamente roubada em 1983 em território brasileiro, da Sede da CBF, seu desaparecimento ainda desperta muitos questionamentos e suspeitas: por que a taça (original) estava exposta enquanto sua cópia era mantida num cofre? Teria mesmo sido derretida, como afirmaram seus ladrões? Como se explicam as mortes misteriosas dos assaltantes antes de irem a julgamento? E a maior de todas as questões: a Jules desaparecida era o verdadeiro troféu do tricampeonato?

[justified_image_grid preset=14 prettyphoto_theme=light_rounded lightbox=prettyphoto mobile_lightbox=photoswipe lightbox_max_size=large exclude=12179]

 

Numa trama simples e divertida, a história se desenvolve num ritmo bastante dinâmico. Em Rastreadores da Taça Perdida – o Segredo da Jules Rimet dois primos aventureiros acham-se prestes a solucionar essas dúvidas; a narrativa se desenvolve em um ritmo dinâmico, com muitas sequências de ação e humor. A dupla passará por muitos perigos, desde a região metropolitana de São Paulo até os cânions do Rio São Francisco e as formações rochosas do Parque Nacional de Vila Velha, localizado em Ponta Grossa, interior do Paraná.

Com 44 páginas coloridas, em formato europeu, um dos pontos altos da obra fica por conta dos personagens principais: Bovinio “Vini” Del Toro, um playboy aventureiro, misto de James Bond, Jet Li e Chiquinho Scarpa e Giovanni Armani Taviani Mantovani, um jovem com raciocínio rápido e capacidade de improviso acima da média, especialista em cultura nerd, bem-humorado, prático e objetivo. Ambos formam uma dupla diferente e, dessa mistura inusitada, nasce boa parte das situações de humor e ação.

Serviço:

Rastreadores da Taça Perdida – O Segredo da Jules Rimet
Coquetel de lançamento com Sessão de Autógrafos
Data: 12/07 – sábado
Horário: das 15h às 17h30
Local: Comix Book Shop
End.: Alameda Jaú, 1998, Jardins, São Paulo SP

Sobre o livro:

Editora: Bila Edições
44 páginas coloridas
Formato europeu (21cm x 28 cm)
História e desenhos: Giorgio Cappelli
Colorização: Enéas Ribeiro Corrêa
ISBN 978-85-8196-659-5
Valor: R$ 19,90
 
 

Sobre Emerson Lara

Cinéfilo. Colecionador de filmes, séries, quadrinhos, action figures. Fundador e Editor chefe do Central 42.

Veja também:

Senso (In)comum

HQ Senso (In)comum tem humor e cultura em mais de 45 equívocos

O álbum em quadrinhos " Senso (in)comum " chega para desvendar curiosidades e crendices que são passadas de geração em geração.