Home / Falando Curto e Grosso / Mãe! – A enigmática e maravilhosa arte de Darren Aronofsky
Mãe

Mãe! – A enigmática e maravilhosa arte de Darren Aronofsky


Viceral e profundo, um filme que realmente precisa de muito talento e sensibilidade para tirar uma arte dessa das entranhas. MãeSenti um leve perfume de Lars Von Trier no ar, mas a coragem excessiva de Aronofsky com Mãe! é original demais para comparações.

Agora entendo perfeitamente a sua frase, Darren Aronofsky, quando você diz que fez Mãe! para “voltar às suas origens de Réquiem para um Sonho e Cisne Negro”.

No filme, Jennifer Lawrence e Javier Bardem vivem um casal,que mora em uma grande residência, aparentemente uma casa mal assombrada, afastada e que tem seu relacionamento abalado com repentinas e constantes visitas de estranhos.

Um horror psicológico mostrado através de uma câmera inquieta e claustrofóbica, sentimos e vemos o que a personagem de Lawrence vive.

Um filme complexo e intrigante, mas de extremo bom gosto e sensibilidade. Uma das melhores atuações de Jennifer Lawrence e Bardem, com todo o seu brilhantismo, conquista e convence mais uma vez o público, mostrando toda a sua loucura em forma de uma ótima arte.

Sem dúvida nenhuma, Darren Aronpfsky sabe direcionar, dar o tom e o ritmo certo para cada cena, a sua técnica nunca foi tão apreciada. Claro, não desmerecendo o elenco riquíssimo que esse longa tem e que tempera a história do início ao fim.

Sei que Mãe! dividi muito as críticas, mas é um filme desafiador e extremamente ousado, vai mexer com você de alguma forma, nem que for para você sair com muita raiva. Mas seja sensível, vá ver o mais novo lançamento do grande diretor Darren Aronofsky, Mãepermita ser tocado, deixe que ele entre em você e que te faça sentir cada pulsar desse horror psicológico que a personagem de Jennifer Lawrence sente, e deixe entrar também a obsessão e o fascínio da personagem de Javier Bardem.

Exatamente, as personagens não tem nomes, eles representam algo maior que eles mesmos. Você não entende essas coisas no começo, pois é posto a prova a sua inteligência, mas depois tudo faz sentido.

Calma, não vai rolar Spoilers!

Só estou querendo dizer que ele subestima, em alguns momentos, a capacidade do público.

Quem viu “Noé” vai sacar que Mãe! tem a ver com a Bíblia, ele está sempre percorrendo a temática religiosa, vimos isso em outros filmes dele, em “Pi”, “A Fonte Da Vida” e em “Noé”.

MãeMãe! percorre alguns caminhos da Bíblia, de Gênesis à Apocalipse. Javier Bardem vem como ELE, que vem na figura do “poder”, como um “Deus” e ela Jeniffer Lawrence é a MÃE que tem a vida, e traz a esperança.

Eu avisei lá em cima que era um filme viceral e de uma profundidade e complexidade que nunca vi igual.

Temos também Adão e Eva, Caim e Abel… Mas vamos para por aqui, pois não quero ser acusada de soltar Spoilers.

Vá ver MÃE! Está intrigante, louco e encantadoramente belo!

Sobre Rosana Moreira

Cineasta formada pela Academia Internacional de Cinema. Produtora desde 2008, dirigiu o curta metragem "4:23" em 2016, "Dissonantes" em 2017. Fez assistência de direção no curta metragem "Olhos Vivos" direção de Kayo Perez (2016), Produziu o curta metragem "Sueli" direção de Christian Monassa (2016) e produziu o filme "W'arana" direção de Christian Monassa - rodado em 2017 na Amazônia.

Veja também:

Blade Runner 2049

Blade Runner 2049 – Denis Villeneuve honrou a obra de Ridley Scott?

Blade Runner 2049 é a continuação do filme que há 35 anos foi gravado por Ridley Scott e, agora, pelo diretor canadense Denis Villeneuve