Home / Falando Curto e Grosso / O Estranho que Nós Amamos tem releitura inteligente
O Estranho que Nós Amamos

O Estranho que Nós Amamos tem releitura inteligente

Com O Estranho que Nós Amamos, a diretora Sofia Coppola adapta o livro clássico de Thomas Cullinan, O Estranho que Nós Amamosque já havia sido levado ao cinema na forma de uma produção de 1971, dirigida por Don Siegel, e estrelada por Clint Eastwood.

Coppola respeita a história original e adapta o roteiro para uma linguagem mais atual.

A trama se passa durante a Guerra Civil Americana, que partiu o país.

O Cabo do Norte, gravemente ferido (papel de Colin Farrell) é encontrado no meio da floresta por Amy (Oona Laurence), uma jovem de 12 anos que faz parte de um internato dirigido por Martha Earnsworth (Nicole Kidman).

Por compaixão ao Cabo, a jovem o leva até o internato e assim resolvem tratá-lo até que possa ser entregue às autoridades.

Convivendo com professoras e internas, o “bendito fruto” desperta as mais diversas sensações (e desejos) nas sete mulheres residentes, gerando ciúmes, assédios e tensão sexual, principalmente entre a diretora Martha (Kidman), a professora de francês Edwina (Kirsten Dunst) e a adolescente Alicia (Elle Fanning).

Farrell aparece menos garanhão que Clint Eastwood na primeira versão e, sendo assim, o universo masculino perde força diante do empoderamento feminino, dado às personagens e comandado pela dura diretora Martha interpretada por Nicole Kidman.

Sofia Coppola, em sua releitura, não muda o final mas provoca os mais diversos questionamentos de forma inteligente, nos poupando de cenas pedófilas, machistas e escravagistas presentes no primeiro filme.

Devido às atuações das personagens, em um cenário impecável, quase sem som, faz com que o final seja ainda mais impactante que o anterior.

Um bom filme, mas vale olhar a primeira versão também.

Com O Estranho que Nós Amamos, a diretora Sofia Coppola adapta o livro clássico de Thomas Cullinan, que já havia sido levado ao cinema na forma de uma produção de 1971, dirigida por Don Siegel, e estrelada por Clint Eastwood. Coppola respeita a história original e adapta o roteiro para uma linguagem mais atual. A trama se passa durante a Guerra Civil Americana, que partiu o país. O Cabo do Norte, gravemente ferido (papel de Colin Farrell) é encontrado no meio da floresta por Amy (Oona Laurence), uma jovem de 12 anos que faz parte de um internato dirigido por…

Avaliação Geral

O Estranho que Nós Amamos

User Rating: Be the first one !

Sobre Rose Canal

Atriz formada na escola de Teatro Porto Alegre e com vários cursos de cinema e teatro. Amante das artes, da música, fiz pontas em filmes e mini séries.

Veja também:

em ritmo de fuga

Em Ritmo de Fuga diverte com música e perseguições emocionantes

Em Ritmo de Fuga é o novo filme de Edgar Wright. Baby é um motorista que usa música para impulsionar a pisada no acelerador e dirigir para bandidos em fuga